Qual é a importância da massagem nas interações neuroendócrinas em nosso corpo?


Você já sentiu uma sensação de bem-estar, de conforto, como se fosse um abraço gigante ao receber uma massagem, ou até mesmo, entrar em um sono profundo ou um alívio de dor após o toque? Se sim, seja bem-vindo(a) as interações neuroendócrinas que ocorrem em seu corpo ao receber uma massagem.

Acredito que você já tenha ouvido falar sobre adrenalina, cortisol, dopamina, serotonina, endorfina entre outras, certo?

Uma coisa que sempre chamou muito a minha atenção é o papel de algumas destas substâncias neuroendócrinas em nosso corpo, quando recebemos uma massagem. Para compreender a influência da massagem nas substâncias neuroendócrinas, resolvi pesquisar um pouco mais, para ajudá-los nesse entendimento.

Uma explicação rápida antes de falarmos sobre cada substância neuroendócrina, temos que, o sistema nervoso, através de sua influência, regula o sistema endócrino. E o sistema endócrino, por sua vez influencia o sistema nervoso. Em resumo, os dois funcionam como um sistema de feedback e auto-regulação para manutenção do equilíbrio de nosso corpo, o que chamamos de homeostase.

Assim, as substâncias químicas neuroendócrinas participam do processo como transmissores de comunicação desses sistemas de controle. Tais substâncias carregam mensagens que regulam nossas funções fisiológicas. Por exemplo, essa mistura química afeta fatores tais como o humor, a atenção, a excitação, a passividade, a vigilância, a calma, a capacidade de dormir, a receptividade ao toque, a resposta ao toque, a raiva, o pessimismo, o otimismo, a ligação com outros, o isolamento, a depressão, o desejo, a fome, o amor e o compromisso.

Quando o nosso corpo sofre uma desregulação ou falta dessas substâncias bioquímicas, temos problemas de comportamento, seja, no humor, na percepção de estresse e dor, além de outras desordens mentais e emocionais.

Algumas das principais substâncias químicas neuroendócrinas influenciadas pela massagem são as seguintes:

1- Dopamina. Conhecida como neurotransmissor do prazer.

Sua função principal é ativar os circuitos de recompensa do cérebro. Essas recompensas são ações que realizamos e o nosso corpo avalia como benéficas, liberando a dopamina, que cria uma sensação subjetiva de prazer.

Por exemplo, ela influencia, em especial o movimento delicado aprendido, como o de escrever à mão, a capacidade de concentrar a atenção e o humor em termos de inspiração, intuição de possibilidade, alegria e entusiasmo.

Baixos níveis de dopamina resultam nos efeitos opostos, tais como falta de controle motor, falta de jeito, incapacidade de concentrar a atenção e tédio.

Parece que a massagem aumenta o nível de dopamina disponível no corpo.

2- Serotonina. Gera a sensação de prazer e bem-estar em nosso corpo.

Ela é o nosso hormônio da felicidade, considerada uma substância sedativa e antidepressiva que se relaciona diretamente com o nosso estado de ânimo.

A serotonina permite que uma pessoa faça uma coisa apropriada no momento apropriado ou seja, mantem um comportamento adequado ao contexto. Ela regula o humor, reduz a irritabilidade controlando os estados de ímpetos. A serotonina em níveis adequados reduzem a sensação de fome e ânsia, como a de comida e sexo. Também modula o ciclo de sono/vigília. Já um baixo nível desta substância tem implicação na depressão, distúrbios alimentares, problemas de dor e desordens obsessivo-compulsivas.

Tudo indica que a massagem aumenta o nível disponível de serotonina.

3- Adrenalina/epinefrina e noradrenalina/norepinefrina.

A adrenalina/noradrenalina, que também desempenham a função de neurotransmissores, são dois dos hormônios que mais impacto exerce sobre o nosso comportamento. A adrenalina é responsável por preparar o corpo para grandes esforços, ela acelera o coração e, em alguns casos, aumenta a força muscular da pessoa.

Ou seja, é ela que ativa os nossos mecanismos mais instintivos de sobrevivência. Mas também, nos faz cair em comportamentos de dependência e facilita o aparecimento dos estados de ansiedade ou estresse crônico. A Noradrenalina tem os efeitos muito parecidos com a adrenalina, porém menos potência.

A epinefrina/norepinefrina são as substâncias químicas da ativação, excitação, do alerta e do alarme, na resposta de luta ou fuga e em todos os comportamentos e funções de excitação do sistema nervoso simpático.

Liberadas em altos níveis, a pessoa acha que alguma coisa muito importante está exigindo sua atenção ou reage com os impulsos básicos de sobrevivência de luta ou fuga ou ter um padrão de sono perturbado. E com baixos níveis, dessas substâncias, o indivíduo fica moroso, sonolento e fatigado.

Ao que parece, a massagem tem um efeito regulador sobre a epinefrina/norepinefrina por meio da estimulação ou inibição do sistema nervoso simpático ou da estimulação ou inibição do sistema nervoso parassimpático. Essa função da massagem de equilíbrio generalizado parece recalibrar os níveis apropriados de adrenalina/noradrenalina.

4- Encefalina/endorfina. Levantam o nosso ânimo, modulam a dor e dão suporte à saciedade. A massagem aumenta os níveis disponíveis de encefalinas e endorfinas.

5- Ocitocina. A ocitocina é um hormônio que está associado aos sentimentos de atração e de tomar conta, junto com suas funções mais clínicas durante a gravidez e a lactação. A massagem tende a aumentar o nível disponível de ocitocina, o que poderia explicar o sentimento conectado e de intimidade da massagem.

6- Cortisol. O cortisol e outros glucocorticóides são hormônios de estresse produzidos pelas glândulas supra-renais durante estresse prolongado.

Níveis elevados desse hormônio indicam aumento de estimulação simpática. O cortisol e outros glucocorticóides têm sido relacionados a muitos sintomas e doenças associadas ao estresse, inclusive estados de imunidade suprimida, perturbações do sono e aumentos no nível da substância P (facilita processos inflamatórios, vômitos, regula a resposta à dor e favorece a vasodilatação). Foi demonstrado que a massagem reduz os níveis de cortisol e da substância P.

7- O hormônio do crescimento promove a divisão celular e, em adultos, tem sido implicado nas funções de regeneração e reparação de tecido. Esse hormônio é necessário para curar e é mais ativo durante o sono. A massagem dinamiza, de maneira indireta, a disponibilidade do hormônio do crescimento, encorajando o sono e reduzindo o nível de cortisol.

Assim sendo, aprendemos que dependendo de nossas interações neuroendócrinas, a massagem pode despertar uma pessoa com facilidade e aliviar a fadiga, como consegue acalmar uma outra que está furiosa e andando de um lado para o outro.

Dessa forma, vemos o quanto é importante a massagem em nossas vidas. Agora, entendemos um pouco mais como esse toque restaura o nosso equilíbrio físico, mental e emocional.

Siga

  • Cintia Ulhoa Facebook
  • cintiaulhoaterapia

​© Por Cintia Ulhoa.