O edema da gravidez e a drenagem linfática manual

Muitas mamães chegam em meu consultório com várias dúvidas sobre o inchaço (edema) no corpo durante a gravidez e o que a drenagem linfática manual pode ajudar neste processo. Lendo alguns artigos e livros, achei interessante, fazer um post para compartilhar uma compilação das literaturas sobre o assunto.

A gravidez é um período de intensas mudanças físicas e emocionais. Todo o corpo da mãe se transforma para que possa abrigar o bebê, alimentá-lo e permitir seu desenvolvimento até a hora do nascimento, momento único na vida de qualquer mulher. É importante que esse acontecimento seja também confortável, sendo administrados tratamentos que proporcionem prazer para a mãe e para o bebê. Essas transformações trazem muitas consequências ao corpo materno, sendo prejudiciais tanto à saúde quanto à estética, como no caso do edema (FONSECA et al., 2009).

Em relação ao edema gravídico; o acúmulo generalizado de até 7L de água é fisiológico na gravidez, o que corresponde a um aumento de peso, até a data do nascimento, de 12 a 13 kg. Essa elevada reserva de água é necessária para que a grávida possa garantir uma troca contínua de líquidos com o feto, através da placenta, evitando, assim, que haja danos a ele em um período de sede. Uma leve depressão nas pernas e pés é, portanto, fisiológica, bem como a turgidez de toda a pele. Ganhos de peso acima disso são decorrentes de excesso de armazenamento de gorduras ou de edemas mais graves. Por outro lado, a causa para o acúmulo de água na gravidez é o nível elevado de estrogênio, pois este retém o sódio, além de elevar a permeabilidade capilar. Por outro, é significativo que, por meio da pressão do feto em desenvolvimento sobre os vasos pélvicos, ocorra uma leve fleboestase (estase venosa: interrupção parcial da circulação) e linfoestase ( acúmulo de líquidos resultante da redução da capacidade de transporte linfático, ocasionando a estase linfática)dos membros inferiores (HERPERTZ,2013, p.69).

O edema gestacional pode ser também sinal de alguma disfunção patológica, como hipertensão, pré- eclâmpsia e até mesmo trombose. Desta forma, é necessário haver sempre acompanhamento médico (MACHADO et al., 2012).

Uma das técnicas mais utilizadas para o tratamento do edema da gravidez é a drenagem linfática manual, a qual é eficaz, pois aumenta a capacidade de processamento da linfa no interior dos gânglios linfáticos, facilitando a eliminação dos líquidos, assim, reduzindo o edema (GUIRRO e GUIRRO, 2004).

A DLM é um dos tratamentos mais indicados para a gestante, porque auxilia na redução da retenção de líquido no corpo, melhora a oxigenação das células musculares e diminui os inchaços típicos da gravidez, que aparecem principalmente no primeiro e no último trimestre da gestação. A drenagem ativa a circulação, que fica mais lenta por causa do aumento de sangue no corpo da gestante (FONSECA et al., 2009). Sendo uma técnica de massagem que ajuda o sistema linfático a trabalhar em ritmo mais acelerado, além do relaxamento corporal e controle do estresse. E para finalizar, lembro que as mamães devem sempre procurar profissionais capacitados para a técnica, mediante permissão médica. Sendo assim, termino meu post, com a esperança de ter ajudado, a sanar um pouco das dúvidas sobre o assunto.

Siga

  • Cintia Ulhoa Facebook
  • cintiaulhoaterapia

​© Por Cintia Ulhoa.